BALNEÁRIO MOSTARDENSE – UMA VIAGEM DE APRENDIZADOS E LIÇÕES DE VIDA

Esta semana tive a comprovação que o motociclismo alimenta a alma, abre a mente e desperta os sonhos que fazem um bem danado à qualquer saúde!

Retornando de um passeio de quase 6.000 quilômetros, os 3 amigos J’s (Joca, José Américo e Jirschik), vindos de São Paulo e depois de rodar por 4 países e recém entrar novamente ao Brasil pelo sul do Rio Grande do Sul, resolvem fazer uma parada estratégica na cidade de Mostardas para conhecer um amigo virtual até então só conhecido através dos fóruns de discussão no site Motoscustom.com.br.

E lá conhecem este ilustre morador, personagem que mais tarde viria a me emocionar com sua história de vida e amor às motocicletas, seus costumes e tradições.

Professor Pedro Massari, um gigante que certamente não ganhara este adjetivo pelo seu 1,60m. O “Mascote do Ensino” que recepcionara os amigos na passada da estrada, os apresentara à pequena, mas não abandonada cidade de Mostardas e encantara seus primeiros fãs diante de tão belas histórias, conhecimentos e hospitalidade.

Passando por Porto Alegre e chegando de volta a São Paulo, os 3 amigos contaram tantas histórias e geraram tantos posts no fórum relativo ao passeio, que me motivaram a pegar a minha fiel escudeira das estradas sem fim e fazer um passeio à tão comentada cidade de Mostardas (onde diabos fica isso, eu me questionava) para conhecer aquele que, à esta altura, também já era meu “amigo de infância” nos fóruns virtuais.

Convoquei alguns amigos - Infelizmente estávamos muito em cima da hora e muitos já haviam agendados compromissos na mesma data – Mas eu estava decidido a ir, mesmo sozinho, até que na última noite, recebo o prazer da confirmação de mais 3 parceiros (Juliano - POA, Marcos “Enjoy” e sua esposa Nanny de Caxias) que não se mixaram com a previsão de chuva e descambaram pro asfalto ao encontro do novo amigo que nos esperava.

Rodamos 220 kms e chegamos à cidade de Mostardas para conhecer o ícone Pedro Massari.

Professor Pedro, como gosta de ser chamado, é um homem no auge da sua melhor idade, submerso por uma bagagem histórica e cultural que remete às histórias de luta e revoluções do Rio Grande.

Deste Guapo Macanudo nascido em Porto Alegre, há 5 anos foi tirado seu maior prazer – dar aulas na escola estadual – por advento de uma depressão que passara e por anos insistia em lhe atrapalhar apresentando-se constantemente na forma de diversas crises.

Ainda neste período a vida lhe pregaria mais uma forte prenda agora como divórcio matrimonial, para aumentar ainda mais os seus desafios e barreiras de superação.

Mas o gaúcho bagual não se entrega tão facilmente às adversidades da vida (“sou depressivo, mas não idiota” – rebate o astuto professor). Mora sozinho toca sua vida e ainda cuida pacientemente de seus pequenos companheiros, gatinhos em números incontáveis que já eram muitos quando ainda estavam na casa dos 20.

Mesmo em uma cidade sem tradições motociclísticas, o Professor Pedro apaixonado pelas motocicletas desde suas remotas lembranças de adolescência com as famosas Vespas, se insere nos fóruns de discussão e num clicar do mouse se mantém tão perto das histórias, novidades e agora amigos e rotas de viagens.

Uma moto custom na cidade de Mostardas parece o Barack Obama desfilando de sunga em Caxias - Até aqueles que jamais se interessaram pelo assunto, pára para olhar com curiosidade.

Com um pouco menos do que 13.000 habitantes este quase povoado aos poucos vai se inserindo na rota dos viajantes motociclistas.

A cidade em si não tem muitos atrativos. Apenas 3 restaurantes (só um aberto – o Restaurante da simpática Nêga), 1 posto de gasolina e alguns mercados.

A beleza local se esconde atrás de 13 km de estrada de areia, difícil às custons exploradoras, mas possível aos guerreiros paciente que conseguem vislumbrar lindas dunas de areias brancas antes de se chegar ao mar local.

A chegada da estrada é péssima. São 50 km de muitos buracos, grandes e profundos. Requer muita atenção e paciência, mas para quem vai à Mostardas, conhecer seu mar, suas dunas ou o tão querido Professor Pedro Massari, isto é o que menos importa no momento.

Nesta hora a pressa não existe e, para quem procura por esta incrível experiência de passar uma tarde com este vivente, minha recomendação é que vá sem pressa, afinal para um bom dedo de prosa e esse baita aprendizado, devemos todos apreciar “sem” moderação.....

O dia 06/02/11 fica marcado para a minha história. Foi um dia de muito aprendizado, algumas histórias e um novo grande amigo.

O velho Pedro diz que foi abençoado com a nossa visita. Mas no fundo, o sentimento que fiquei de ter feito tão bem a alguém apenas com uma singela visita de cortesia foi o prêmio maior que eu poderia ter ganhado neste dia.

Marcos Vinicius Pereira

Marcão Paulista - MVP